segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Piauí e Gurgueia: Dividir para avançar

Piauí é um Estado com vocação para o atraso
Lanço a indagação a propósito da campanha que prega a criação do Estado do Gurgueia, que ganhou fôlego e passou a ser combatida ferozmente pelo movimento "Piauí Unido". A discussão em torno do tema está ainda no começo. Conquanto tenha sido contaminada por um viés palanqueiro e academicista, ela merece - até por isso mesmo - ser acompanhada de perto.
O Piauí é um Estado com vocação para o atraso. Dos nove Estados nordestinos, o Piauí foi o último a conseguir a sua universidade, com décadas de atraso, diga-se de passagem. Há quase um século tenta construir um porto marítimo e não consegue. Perdeu o bonde da história. Os espaços já foram ocupados pelo Ceará, pelo Maranhão e por Pernambuco.
Que grandes indústrias privadas o Piauí atraiu? Que empreendimentos públicos de vulto o Estado conseguiu? O último projeto federal relevante foi o da barragem de Boa Esperança. Assim mesmo, passados mais de 40 anos, ainda está incompleto. Faltam as eclusas. O projeto seguinte, o biodiesel, apresentado como a redenção da lavoura, já no governo Lula, foi um fiasco total!
O caso do Hospital Universitário é emblemático. Aqui na capital, nas barbas do poder, ele está pronto, todo equipado, depois de mais de 20 anos, e não é aberto ao atendimento da população, por incompetência de nossa elite política. O Centro de Convenções de Teresina, fechado há mais de dois anos para reforma, é outro atestado público de nossa incompetência crônica e de nosso descaso.
Enquanto isso, o Gurgueia tem vontade de crescer. Mesmo lutando nas condições as mais adversas, pela falta de infra-estrutura que o governo nega reiteradamente, a região dá um salto em sua produção de grãos. O problema agora é encontrar estradas para escoar a megaprodução e para armazená-la.
A criação do Gurgueia é uma hipótese a ser considerada pelos piauienses. O modelo de desenvolvimento que aí está em vigor há 250 anos não foi capaz de tirar o estado do atraso. Muito pelo contrário, só tem perpetuado esta condição incômoda.
E, para concluir: "Piauí Unido". Unido em torno de quê? E para quê?
Informações: Zozimo Tavares